Estudo apresenta as razões pelas quais novos negócios da área de tecnologia falham mais do que acertam

Buscar inspiração nos empreendedores de sucesso é o caminho mais comum para quem é – ou deseja ser – fundador de uma startup. É claro que estudar a jornada de quem alcançou o status de unicórnio proporciona lições valiosas, mas também vale a pena olhar para o outro lado da moeda. Frequentemente ignoradas, as histórias de fracasso têm muito a ensinar. Os erros dos outros podem evitar que você erre.

Essa é a premissa da Failory, uma iniciativa que estuda startups que “morreram” pelo caminho. “Fundadores cometem erros. Os melhores aprendem com eles”, destaca o site da empresa, que lançou um estudo apresentando as razões pelas quais novos negócios da área de tecnologia falham mais do que acertam:

As histórias de quem falhou são as melhores lições a conferir. A Failory criou uma plataforma que reúne cases e entrevistas com os founders, que já inclui, por exemplo, a história da Quibi, que levantou US$ 1,8 bilhão em investimentos antes de morrer.

Mais detalhes sobre o estudo da Failory, e dos cases, você confere no artigo na The Shift.

Fonte: The Shift

 

O post Como, onde e por que startups morrem apareceu primeiro em OasisLab.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *