Empresas e startups surgem com soluções pautadas em inovação. O que as corporações podem aprender com elas?

Esse tópico foi o alvo do painel “10 Lições de Inovação: O Que Podemos Aprender Com as Startups e as empresas mais inovadoras do Brasil?”, do Whow! Festival de Inovação 2020, mediado por Jacques Meir, diretor-executivo de conhecimento do Grupo Padrão. O encontro contou com a participação de Romeo Busarello, vice-presidente de Marketing e Transformação Digital da TecnisaJosé Cirilo, diretor-executivo de Marketing e Trade na Seara e Evandro Temperini, diretor de inovação e transformação digital na Hapvida.

1.Cultura 

As recentes mudanças de comportamento exigem um novo perfil de executivo nas empresas. Hoje, há demanda para que o líder  tenha uma mentalidade aberta à inovação e, sobretudo, que ele compreenda que o mundo está em constante mudança. Dessa forma,  Romeo propõe o seguinte questionamento: “Afinal, o que prevalece nas empresas hoje: uma mudança de cultura ou uma cultura de mudança? Todos nós temos um ‘descasamento’ de competências recorrente. Hoje, eu tenho um coração de estagiário, pois tenho a consciência de que o que me trouxe até aqui não é o que me levará ao futuro”.

2.Execução

O mercado está em constante mutação, e é preciso sempre ter tato para convencer os colaboradores de que o que funciona hoje pode não fazer sucesso no futuro. É preciso equalizar resultados, ser disruptivo e apresentar estruturas alternativas de projetos para se melhorar cada vez mais os processos dentro das companhias.

3.Metodologias

A inovação de sucesso é, acima de qualquer coisa, fruto de metodologias e de sistemas estruturados. “Levanto todos os dias com zero consumidores na minha base e tenho que conquistá-los todos os dias. O papel de grandes empresas é trazer soluções da maneira mais fácil possível para que o consumidor as compreenda. Para isso, precisamos de inovação em processos, produtos e serviços. A inovação não é exclusiva de uma área que fornece insights, mas é responsabilidade de todos, trabalhando em conjunto”, conta José.

4.Foco no cliente

“Hoje em dia criamos inovação com foco no cliente. Não mais trabalhamos da maneira antiga onde um produto era desenvolvido e o cliente se convencia a utilizá-lo por conta de uma peça publicitária”, afirma Jacques. Hoje vivemos na era da satisfação do cliente, onde a maioria das decisões das empresas são estruturadas a partir de uma demanda pré-fornecida pelo público geral.

Com o advento da tecnologia o cliente se torna cada vez mais poderoso, com a capacidade de elevar ou afundar a reputação de grandes companhias através da internet. “Hoje, graças à tecnologia, muitas empresas colocam o cliente no centro”, afirma Romeo.

5.Dados

Atualmente a coleta de dados é responsável por todo um caráter personalizado da jornada de compras do cliente. O uso do big data torna possível não só oferecer campanhas publicitárias focadas no perfil do consumidor, mas antecipar suas vontades para desenvolver produtos e serviços antes mesmo que o cliente final perceba essa necessidade.

6.Liderança

A liderança é o pilar de apoio para que a inovação aconteça. “Sinto-me muito sortudo por trabalhar com a inovação: a liderança não apenas me apoia, mas praticamente se impõe no meu dia a dia”, conta o diretor-executivo de Marketing e Trade na Seara.

Hoje, a liderança é utilizada não somente para estabelecer planos de inovação, mas também para a certificação de que a execução dos planos aconteça.

7.Paixão pelo problema

É inegável que toda a transformação digital e as mudanças nos padrões de consumidor trouxeram uma série de problemáticas às empresas. Por conta disso, é necessário estar preparado para enfrentá-los de frente.

“Times pequenos inovam, times grandes escalam. A grande tecnologia do século 21 é a tecnologia de gestão”, conta o vice-presidente de Marketing e Transformação Digital da Tecnisa.

8.Propósito

“Nosso propósito é permitir o acesso à saúde de qualidade aos mais necessitados”, diz o diretor de inovação e transformação digital na Hapvida. O propósito de uma empresa impulsiona as entregas e traz forças para que a inovação aconteça. Ele move cada colaborador, motiva e os faz querer conquistar cada vez mais.

9.Colaboração

A colaboração caminha junto ao propósito para que se atinja patamares cada vez mais elevados. Um trabalho horizontalizado, onde se exercita a capacidade de escuta faz com que mais pessoas tenham voz a propor soluções inovadoras.

“Todo o processo de colaboração começa ao escutarmos genuinamente não só os colaboradores, mas também o consumidor”, comenta José.

10.Personalidade

A décima lição que podemos aprender é a personalização. Nesse sentido, cada um dos palestrantes elencou mais de um fator que julga fundamental ao sucesso das novas empresas inovadoras.

Para Romeo, há dois elementos importantes:  a paciência e a capacidade de se aprender com erros do cotidiano. Já, segundo Evandro, o segredo é ter coragem para se assumir riscos. E por fim, José cita a importância de se manter uma atitude ousada para todo o sistema.

Fonte: Whow

O post 10 lições das startups para todos os negócios apareceu primeiro em OasisLab.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.