Na virada de 2019 para 2020, a hiBike, startup paulistana de mobilidade urbana, preparava uma mudança em seu modelo de negócios. Até então, os usuários do app transformavam suas viagens de bicicleta pela cidade em pontos (a partir dos quilômetros percorridos e de check-ins), para trocar por vouchers de desconto nos parceiros da marca. O objetivo era avançar para ser uma carteira digital para pagamentos presenciais, eliminando a etapa da troca por vouchers e ampliando o uso do sistema.

E então veio a pandemia…

A carteira digital previa pagamentos presenciais, dentro dos estabelecimentos (fechados devido ao lockdown). “Primeiro cuidamos para que nossa equipe pudesse trabalhar remotamente e com segurança. Então, avaliamos o que fazer para atenuar o impacto da crise”, lembra Francisco Carvalho, diretor executivo da hiBike. A resposta foi acelerar o roadmap, para que a carteira digital também oferecesse a possibilidade de pagamentos online e pudesse ser utilizada pelo varejo.

“A mobilidade urbana ganhou atenção durante a crise, o que acabou sendo positivo para nós. Este vem sendo um ano muito importante para nosso propósito, de mobilidade urbana ativa, e para o crescimento do nosso negócio”, explica o executivo. A hiBike pretende se tornar um hub para que usuários de qualquer app de mobilidade urbana acumulem pontos e oferecer várias opções de meios de pagamento aos parceiros. Dessa forma, o varejo pode impactar novos consumidores e ampliar a fidelidade dos atuais clientes.

Programas de fidelidade também são um foco de expansão da marca. “Temos uma parceria com o app de esportes Strava para o acúmulo de pontos e estamos conversando com empresas que possuem outros programas de pontuação para atuarmos em parceria”, conta Carvalho.

Outros vetores de expansão são projetos com empresas que fornecem benefícios como vale refeição / alimentação e o aprofundamento da jornada de uso do app. “Nossa equipe de ativação vai passar muito do seu tempo no próprio parceiro, entendendo seu business para gerar mais benefícios para ele e para os usuários. Além disso, estamos iniciando nossa expansão geográfica, com uma operação em Belo Horizonte (MG), e muito mais virá em 2021”, comenta.

Fonte: Redação OASISLAB

O post Do transporte aos pagamentos digitais apareceu primeiro em OasisLab.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.